Caçadores modernos, quando armas viram câmeras (article in PT/EN)

PT: No princípio da humanidade estruturamos sociedades caçadoras-coletoras onde fazia-se necessário caçar para sobreviver, passados alguns milênios tornamo-nos produtores de nosso próprio alimento com plantações e cultivo de animais, ainda assim a prática da caça permaneceu presente nas diferentes sociedades, em poucos casos como uma necessidade, em muito como mera vaidade, um hobby egoísta e de consequências terríveis para a conservação da biodiversidade.


Eu mesmo aprecio a adrenalina da caça. Procurar um animal raro, estudar seus movimentos, saber onde poderá aparecer, preparar-se, ter paciência, encontrar um bom ângulo, e no momento certo disparar... CLIC!


Minha arma é uma câmera fotográfica!


Observar e fotografar a natureza é uma forma de terapia, de conectar-se com o ambiente, olhar com mais atenção à vida que nos cerca, uma forma de compreender que somos apenas mais uma espécie dentre tantas coexistindo no mesmo planeta, entender que nossa responsabilidade aqui é de cooperar pela manutenção de todas as formas de vida e saber que todas possuem um papel fundamental em existir.


Estamos passando por um momento muito delicado em todo o planeta, enfrentando uma pandemia sem precedentes e onde o afastamento social se faz necessário. Neste período, ‘caçar’ boas fotos é uma atividade que pode ser feita de forma isolada e até mesmo da janela de casa.


Você já parou para observar quantas aves frequentam diariamente as árvores da sua rua? Você já olhou para as abelhas e demais insetos que visitam suas flores? A variedade de plantas do seu bairro?


Pequenos gestos como estes alteram nossa percepção de coexistência com as demais espécies de nosso planeta. Apreciar a biodiversidade à nossa volta faz bem para o corpo e a mente, se a adrenalina da caça, do encontro com o animal selvagem, é tão mágico e único, podemos fazer isso sem machucar, registrar o privilégio do encontro com câmeras fotográficas.


Se os assassinos de animais colocavam peles e cabeças taxidermizadas na parede da sala como troféus, hoje os ‘caçadores modernos’ colocam quadros com fotos que eternizam momentos lindos, preservando a biodiversidade e respeitando as demais formas de vida.



📷: Landis Peterson, Brazil

EN:

In the beginning of humanity, hunter-gatherer societies reined because it was necessary to hunt in order to survive, but after a few millennia we became producers of our own food with plantations and animal cultivation. Yet the practice of hunting remained present in different societies, sometimes as a necessity, and sometimes merely for vanity, serving as a selfish hobby and with terrible consequences for the conservation of biodiversity.


I myself enjoy the adrenaline of the hunt.


It's amazing to search for a rare animal, study its movements, know where it might appear, prepare, be patient, find a good angle, and shoot at the right time ... CLIC!


My weapon is a photo camera!


Observing and photographing nature is a form of therapy, to connect with the environment, to look more closely at the life around us, to understand that we are just one more species among so many coexisting on the same planet and that our responsibility here is to cooperate for the maintenance of all forms of life, and to know that they all have a fundamental role in life on this Earth.


We are going through a very delicate moment in history, facing an unprecedented pandemic and where social withdrawal is necessary to restore nature and biodiversity. In this period, ‘hunting’ for good photos is an activity that can be done in isolation and even from the home window.


Have you ever stopped to watch how many birds frequent the trees on your street daily? Have you ever looked at bees and other insects that visit your flowers? The variety of plants in your neighborhood?


Small gestures like these alter our perception of coexistence with other species on our planet. Appreciating the biodiversity around us is good for the body and mind. The adrenaline of hunting with the encounter with a wild animal, is so magical and unique and we can now do this without hurting animals themselves with the aid of our cameras.


Hunters have placed and still place animal furs and taxidermize animals on the wall as trophies, but today 'modern hunters' are able to put up frames with pictures that eternalize beautiful moments, preserving biodiversity and respecting other forms of life.

Landis Petersen, Brazil




99 views